Limites do Homem

Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011

Tratamento


Após o diagnóstico é preciso medicar o paciente, envolvendo uma classe de medicações chamada estabilizadores de humor.

Tratamento com carbonato de lítio – é o mais antigo, o mais estudado e o mais usado, mas não quer dizer que seja a melhor escolha. Ao usá-lo de forma contínua não quer dizer que o paciente não tenha recaídas. O lítio induz uma série de efeitos adversos e por isso precisa ser dosada a sua concentração no sangue periodicamente.

Frequentemente é necessário acrescentar anticonvulsivantes (que têm como objectivo salvar neurónios e estabilizar a disfunção de ansiedade).

Tratamento com uso contínuo de olanzapina ou quetiapina – é um uso moderno sem utilização do lítio.

O verapamil, uma medicação muito usada na cardiologia para controlo da hipertensão arterial que apresenta efeito anti-maníaco.

Nas fazes mais intensas pode se usar de forma temporária os antipsicóticos.

Nas depressões mais resistentes pode-se usar, mas com muito cuidado, antidepressivos.

O paciente deve ser acompanhado por um psiquiatra por um longo período além disso o apoio e a compreensão da família ou de amigos chegados são de grande valia ao doente.

 

 

 

publicado por limitesdohomem às 11:54

mais sobre mim

Calendário

Número de Visitas

pesquisar